Clubes Bíblicos
Motivando gerações para multiplicar discipuladores
Hora Silenciosa

Semana 38 - Quarta-feira

Operários em obras

Texto (tradução - NVI):

Atos 17.16-34
 16 Enquanto esperava por eles em Atenas, Paulo ficou profundamente indignado ao ver que a cidade estava cheia de ídolos. 17 Por isso, discutia na sinagoga com judeus e com gregos tementes a Deus, bem como na praça principal, todos os dias, com aqueles que por ali se encontravam. 18 Alguns filósofos epicureus e estóicos começaram a discutir com ele. Alguns perguntavam: "O que está tentando dizer esse tagarela? " Outros diziam: "Parece que ele está anunciando deuses estrangeiros", pois Paulo estava pregando as boas novas a respeito de Jesus e da ressurreição. 19 Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: "Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando? 20 Você está nos apresentando algumas idéias estranhas, e queremos saber o que elas significam". 21 Todos os atenienses e estrangeiros que ali viviam não cuidavam de outra coisa senão falar ou ouvir as últimas novidades. 22 Então Paulo levantou-se na reunião do Areópago e disse: "Atenienses! Vejo que em todos os aspectos vocês são muito religiosos, 23 pois, andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora, o que vocês adoram, apesar de não conhecerem, eu lhes anuncio. 24 "O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. 25 Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. 26 De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. 27 Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. 28 ‘Pois nele vivemos, nos movemos e existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’. 29 "Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem. 30 No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. 31 Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos". 32 Quando ouviram sobre a ressurreição dos mortos, alguns deles zombaram, e outros disseram: "A esse respeito nós o ouviremos outra vez". 33 Com isso, Paulo retirou-se do meio deles. 34 Alguns homens juntaram-se a ele e creram. Entre eles estava Dionísio, membro do Areópago, e também uma mulher chamada Dâmaris, e outros com eles.

Comentário:

A estada de Paulo em Atenas não foi planejada nem voluntária; ele foi enviado para lá pelos irmãos de Bereia, devido à perseguição dos judeus de Tessalônica (vv. 13-15). Ainda assim, ele estava pronto! Nos dias que passou ali, observou atentamente a cidade e aproveitou todas as oportunidades para pregar o evangelho: no espaço religioso – a sinagoga (v. 17a); no espaço público – a praça (v. 17b); e no espaço cultural/intelectual – o Areópago (v. 19). Mesmo sendo tratado pejorativamente (a palavra “tagarela” no verso 18 tem o significado de alguém que vive das coisas que cata pelas ruas), ele não se esquiva de pregar “as boas novas a respeito de Jesus e da ressurreição” (v. 18), adequando sua mensagem aos ouvintes, citando inclusive obras poéticas conhecidas em Atenas (v. 28), uma cidade dada à intelectualidade, e ao saber e ao extremo da idolatria. Foi zombado por alguns, mas outros creram (vv. 32-34).

Nesse episódio, aprendemos que devemos estar atentos à realidade ao nosso redor e às oportunidades que ela nos proporciona, observando tudo o que pode ser útil à comunicação do evangelho de forma clara e impactante. Peça a Deus sabedoria para proclamar a Sua Palavra com fidelidade, ousadia e inteligência, construindo pontes entre as boas novas e a cultura, onde quer que você se encontre (ainda que você esteja onde não planejou estar). Comprometa-se a aproveitar as oportunidades para comunicar o evangelho de maneira excelente, mesmo que sofra com a zombaria dos incrédulos.

O texto acima foi extraído do Diário de Hora Silenciosa Jovem. Para adquirí-lo, clique aqui.